Roteiros ágeis: construir, compartilhar, usar, evoluir

Se tornar ágil não significa não saber para onde você está indo. Significa ser flexível sobre o caminho a tomar.

Dan Radigan Dan Radigan

A ideia de que desenvolvimento ágil descarta o planeamento a longo prazo pode ser o maior mito desde o monstro do lago Ness. Um roteiro é tão importante para uma equipe ágil quanto é para uma equipe cascata, pois fornece o contexto do trabalho da equipe de todos os dias e responde às mudanças no cenário da concorrência. Mas, ao contrário de um certos monstros lendários das águas escocesas, um roteiro ágil bem feito é fácil de encontrar e de entender. 

O que é um roteiro de produto ágil?

Um roteiro de produto é um plano de ação relacionado a como um produto ou solução será desenvolvida ao longo do tempo. Proprietários de produto usam roteiros para delinear funcionalidades futuras do produto e quando novos recursos serão liberados. Quando usado em desenvolvimento ágil, um roteiro fornece contexto crucial para o trabalho diário da equipe e deve ser sensível às mudanças no cenário da concorrência. Várias equipes ágeis podem compartilhar um roteiro único de produto.

Criação do roteiro

Para criar um roteiro, os gerentes de produtos consideram trajetórias de mercado, propostas de valor e restrições de engenharia. Assim que esses fatores são razoavelmente bem entendidos, eles são expressos em um roteiro como iniciativas e cronogramas. Abaixo está um roteiro simples para uma equipe de produtos. As iniciativas estão em azul e os cronogramas são indicados pelos marcadores em vermelho. 

Roteiro ágil | Coach Agile Atlassian

Compartilhamento do roteiro

Após o roteiro ser criado, ele precisa ser compartilhado com toda a equipe de produto para que todos entendam a visão e a direção. Em muitas organizações, os proprietários de produto criam seus roteiros em PowerPoint e planilhas e, então, enviam por email os slides e as planilhas para a equipe. Embora bem intencionada, esta estratégia é falha desde o início. Cada membro da equipe tem sua própria cópia do roteiro e manter todos a par de quando e se há alterações de roteiro é complicado (para dizer o mínimo).

Então, como o proprietário do produto pode manter a equipe mais bem informada? Simples.

A maioria das ferramentas de colaboração criadas para isso notificarão automaticamente todos os participantes de um projeto, avisando-os que o roteiro mudou. (Se a sua ferramenta não avisar, pode ser hora de comprar outra).

Ao adicionar uma iniciativa ao roteiro, considere as seguintes perguntas:

Antes de falarmos sobre as soluções de previsão dinâmica, vamos falar sobre as etapas para criar um plano ágil de longo prazo usando a metáfora da construção de uma casa:

  • Quais são as prioridades relativas de cada iniciativa?
  • Quando pretendemos trabalhar em cada iniciativa?
    • Existem datas específicas que a equipe precisa atingir?
    • Quais dependências o programa tem – internas ou em outras equipes?
  • Quais equipes estão trabalhando em cada iniciativa?
    • As equipes atuais têm disponibilidade de horário e capacidade suficiente?
    • Podemos manter as equipes ágeis atuais estáveis?
      • Se não...
        • Como as equipes serão re-organizadas?
          • Estamos contando com o fortalecimento de equipes recém-formadas no cronograma do projeto?

Uso do roteiro

É importante vincular o trabalho da equipe ao roteiro para que você tenha todo o contexto que mencionei acima. Um modo consagrado de fazer isso é dividir as iniciativas em epics na lista de pendências do produto e, depois, decompô-las em requisitos e histórias de usuários. Reunir tudo isso facilita, para os proprietários do produto e a equipe de desenvolvimento, a tomada de decisões de curto prazo que não comprometem o trabalho futuro. Vamos ver um exemplo para entender como isso funciona.

Digamos, por exemplo, que lançamos um recurso de perfil de usuário extenso no nosso site. Se acharmos que nossos clientes não estão usando o recurso, devemos continuar a investir nele? Talvez, talvez não. Precisamos entender porque o uso é baixo antes de tomar esta decisão. Então, em vez de continuar, podemos optar por implementar alguns testes A/B com o objetivo de obter alguns insights sobre a baixa taxa de uso – que pode nos apontar uma direção que teria sido muito mais difícil (ou impossível) se simplesmente tivéssemos continuado adicionando mais itens.

A capacidade de dar um passo para trás e investigar antes de tomar uma decisão crucial é a essência de um roteiro ágil. Isso fornece à equipe a capacidade de desenvolver os recursos à medida que aprendem mais sobre um produto e o mercado.

Antipadrões que devem ser observados
  • O planejamento futuro é completamente ignorado — estamos agindo primeiro e pensando depois!
  • O "restante do negócio" é mantido no escuro em relação a o que a equipe está fazendo.
  • O roteiro é continuamente atualizado (ou nunca atualizado).
  • Requisitos detalhados estão sobrecarregando o roteiro. 

Desenvolvimento do roteiro

Projetos cascata exigem um grande investimento inicial. Como resultado, os membros da equipe tornam-se emocionalmente presos ao roteiro e sacrificam a tomada de decisão certa, pois é muito doloroso desfazer o trabalho feito – um pecado "humano", se alguma vez houve um.

De sua parte, o desenvolvimento ágil executado em três diferentes riscos:

  • A equipe pode perder a confiança na capacidade da liderança de tomar decisões estratégicas se o roteiro for atualizado frequentemente.
  • O produto pode chegar tarde demais no mercado e perder a demanda se o roteiro não for atualizado com frequência suficiente.
  • Esforços de longo prazo podem parecer "muito grandes e muito difíceis" para iterações mais curtas. A equipe faz uma compensação excessiva ao separar o trabalho em partes muito pequenas e acaba focando muito nos resultados a curto prazo.

Para combater golpes, deterioração e uma visão insuficiente, mantenha o roteiro uniformemente focado em metas de longo prazo que tenham táticas e estratégias de curto prazo. Uma ótima maneira de fazer isso é revisar os roteiros trimestralmente, ajustar conforme necessário e compartilhar. Isso funciona bem em qualquer organização, mas lembre-se: um único roteiro pode abranger várias equipes ágeis, então inspecione, adapte-se e comunique-se de acordo.

Continue lendo o Coach Agile para saber mais sobre as considerações especiais para equipes maiores que gerenciam portfólios ágeis com roteiros em várias equipes.